quinta-feira, 10 de maio de 2007

Kanzeon






"- Pensas demasiado." E depois, mostrou a flor de lótus que tinha colhido de madrugada para as suas devoções, e exclamou: "Kuan Yin (Kanzeon) está aqui em frente do teu nariz. Cheira!"

2 comentários:

José Ocidental disse...

E se em vez de ficarmos a pensar, deixássemos os nossos pensamentos entregues a si mesmos, e lhes déssemos toda a liberdade para eles se pensarem a eles (ou por eles) mesmos, e ficássemos apenas silenciosamente a saborear o espectáculo, como quem segue um filme, ou lê um livro, de ficção? Não será isso, também, um sabor (e um saber) a Zen?

chumani disse...

pois, as coisas supostamente são muito simples :)